VEJA O QUE ROLA POR AQUI!

Nossos destaques:

VEJA O QUE ROLA POR AQUI! VEJA O QUE ROLA POR AQUI!

O amor cristão nos EUA expulsa jovens de casa por serem gays

Cacciati dai genitori migliaia di gay diventano homeless

O amor cristão nos EUA expulsa jovens de casa por serem gays O amor cristão nos EUA expulsa jovens de casa por serem gays

Ser um homem feminino

Salve, salve a alegria, A pureza e a fantasia […]

Ser um homem feminino Ser um homem feminino

DAR A BUNDA

Se dar a bunda... Já era!

Se dar a bunda...Já era! Se dar a bunda...Já era!

Ainda falando sobre promiscuidade

Ainda falando sobre promiscuidade Ainda falando sobre promiscuidade

A culpa é da promiscuidade: um erro conceitual

os gays são promíscuos e quem não ?

 A culpa é da promiscuidade: um erro conceitual
 A culpa é da promiscuidade: um erro conceitual

Carpe Anum // Carpe Culum

Carpe o quê?

Carpe Anum // Carpe Culum Carpe Anum // Carpe Culum

Sessão Pipoca: The Trip

FILME

Sessão Pipoca: The Trip Sessão Pipoca: The Trip

Justiça de BH autoriza casamento homossexual

Carlos Eduardo e Jorge irão formalizar união em abril próximo...

Justiça de BH autoriza casamento homossexual Justiça de BH autoriza casamento homossexual

A culpa é dos gays?

Site atribui responsabilidade aos gays por mulheres estarem solteiras em Campo Grande...

A culpa é dos gays? A culpa é dos gays?

Querem desprestigiar os gays!

O Vaticano lançou uma crítica sobre a matéria publicada nos meios de comunicação...

Querem desprestigiar os gays! Querem desprestigiar os gays!

Uma defesa para Silas Malafáia.

mas não há outra coisa a se fazer aqui, nesse momento, depois de ler em alguns blogs evangélicos

Uma defesa para Silas Malafáia. Uma defesa para Silas Malafáia.

Sessão Pipoca: Mambo Italiano

FILME

Sessão Pipoca: Mambo Italiano Sessão Pipoca: Mambo Italiano

Banho Turco/ Hamam -- Il Bagno Turco- Sessão Pipoca

Esse filme eu descobri por conta do meu professor de italiano, que constantemente...

Banho Turco/ Hamam -- Il Bagno Turco- Sessão Pipoca Banho Turco/ Hamam -- Il Bagno Turco- Sessão Pipoca

quinta-feira, março 31, 2011

Marco Feliciano dispara no Twitter: “africanos são amaldiçoados”

Polêmica sucede declarações do deputado Jair Bolsonaro, que associou negros à promiscuidade e atacou gays

afr

Na mesma semana em que as declarações do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) no programa CQC provocaram reações no Congresso, outro parlamentar usou o Twitter para dizer que "os africanos são amaldiçoados". Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) é deputado federal de primeiro mandato e garante que a afirmação vem de um conhecimento teológico. Ele se diz afrodescendente e nega ser racista.

Os primeiros posts tratando do tema foram colocados na página do parlamentar ontem. Segundo ele, foi sua assessoria que colocou o "ensinamento" na internet, mas com seu aval. Entre outras frases, Feliciano diz na rede social que "sobre o continente africano repousa a maldição do paganismo, ocultismo, misérias, doenças oriundas de lá: ebola, aids. Fome".

Hoje, ele retornou ao tema: "A maldição que Noé lança sobre seu neto, Canaã, respinga sobre o continente africano, daí a fome, pestes, doenças, guerras étnicas!". Segundo o deputado, a Bíblia sustenta a teoria de que o continente africano foi amaldiçoado. O parlamentar afirma que, pela Bíblia, Cam, filho de Noé, "vê a nudez do pai" em um momento de embriaguez de Noé e ri. Quando Noé volta em si, ele chama Cam e seu neto Canaã e joga uma maldição sobre o neto, que, posteriormente seria o responsável por povoar o continente africano.

Em entrevista hoje, o deputado reafirmou as frases colocadas na rede social. Ele afirmou que tudo isso é um "ensinamento teológico avançado". Feliciano nega que seja racista e diz que "ora pela África". "O problema do continente africano é espiritual e se vence com oração. Isso poderia ter acontecido com outro continente, mas foi lá. Eu apenas citei um texto que é teológico para quem quiser aprender. O resto é maldade das pessoas".

A polêmica relativa à Àfrica não é a única da página do parlamentar na rede social. Feliciano faz também ataques a homossexuais. "A podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam ao ódio, ao crime, a rejeição", diz ele em um dos posts.

O deputado afirma que o ataque é destinado a homossexuais que têm espalhado críticas a ele no Twitter. Ele afirma ainda que respeita os homossexuais, mas que é contra a "promiscuidade" que está sendo colocada diante de seus filhos. "Dentro de quatro paredes, eles têm liberdade, mas não podem querer que eu aceite um ato que é condenado pela Bíblia Sagrada", diz ele.

Fonte IG

quarta-feira, março 30, 2011

Igreja Luterana faz o primeiro batismo de filho de gays na Argentina

A capital argentina, Buenos Aires, realizou o primeiro batizado de uma filha de um casal homossexual na América Latina.

As mães Claudia Gimenez e Paola Releia são da cidade de Paraná, na província de Entre Rios.

Apesar de ser católica, Paola realizou a cerimônia numa igreja luterana, já que sua igreja católica não aceitaria realizar o batizado.

Me decepcionou a discriminação que sentimos por sermos lésbicas e também por nossos amigos gays e travestis. Preferimos que Bianca pertença a esta igreja, luterana, em que não há discriminação nem a ela e nem a nós.”

Fonte: Cena GPrimeiro batismo de filho de gays e realizado na Argentina

OAB vai pedir a cassação do Deputado Bolsonaro

OAB vai pedir a cassação do mandato do Deputado Jair Bolsonaro por declaração racista e homofóbica

OAB vai pedir a cassacao do mandato do Deputado Jair Bolsonaro por declaracao racista e homofobica

O presidente da OAB-RJ, Wadih Damous, vai pedir a cassação do mandato do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), por suas declarações racistas e homofóbicas veiculadas no programa CQC, da Band.

"As declarações do deputado Jair Bolsonaro são inaceitavelmente ofensivas, pois têm um cunho racista e homofóbico, incompatível com as melhores tradições parlamentares brasileiras", disse Wadih Damous.
"O Congresso não merece ter em suas fileiras parlamentares que manifestam ódio a negros e gays", afirmou o presidente da OAB-RJ.

Fonte: Cena G

Sodoma é aqui!

HCF

Querido leitor, esse vídeo do Bispo Hermes Fernandes me surpreendeu, ao passo que reproduzo aqui, no nosso espaço. Não concordo com a mensagem no que diz respeito a promiscuidade, mas é uma mensagem sóbria de um representante evangélico, que não compartilha do FUNDAMENTALISMO tacanho de Augusto Nicodemus, Silas Malafaia e demais figurinhas antipáticas do mundo gospel.

Vale a pena assistir, não só o que diz respeito ao PLC 122/06, mas em especial os minutos: 29’ 55” e 47’ 55”, que são surpreendentes.

Homofobia: maior ou mais visível?

Na edição nº 79 da Sex Boys, escrevi sobre os desejos e os desafios para 2011. O combate à homofobia foi o mote, diante das notícias de agressões a LGBTs. Infelizmente, novos fatos instigam uma revisita ao tema.

por João Marinho

hm1

Quando o leitor receber esta revista, estaremos em abril/2011, a apenas dois meses para o meio do ano e para a época da Parada Gay de São Paulo, a maior do mundo – mas não parece que a violência homofóbica tenha dado trégua.

Apenas durante o Carnaval, para citar alguns casos, tivemos, na Bahia, um gay atirado pela janela de um ônibus em movimento por assaltantes que o identificaram como homossexual (!), outro espancado em uma boate catarinense por dançar com outro homem e um casal gay agredido a chineladas e facões por um casal hétero, na mesma Santa Catarina.

O mais recente caso ocorreu novamente em São Paulo, na região da Rua Augusta. O local já foi palco de agressões no ano passado, mas continua – testemunho meu – com um policiamento patentemente deficitário. O que o poder público espera para reforçá-lo é ainda um mistério...

Willyan Hoffmann da Silva, Vinícius Siqueli de Paula, Daniel Moura Fragozo e Milton Luiz Santo André, skinheads, agrediram o militante gay Guilherme Rodrigues, que, além de mal-assessorado na polícia ao falar de homofobia, foi deixado por ela na rua (!!) e terminou novamente abordado pelos agressores.

Repercussões e polêmicas

Repercutindo a problemática da violência contra LGBTs, a Parada de São Paulo voltará ao tema da homofobia em 2011 – "Amai-vos uns aos outros: basta de homofobia". A revista Época, edição 668, de 7 de março de 2011, relata uma escalada da violência que ocorre fora do Carnaval, que, diz a revista, consagra os homossexuais.

Vale dizer que, no entanto, que isso tudo se baseia em estatísticas imperfeitas. Apenas o Estado do Rio registra ocorrências homofóbicas como tais. Nacionalmente, a estatística mais famosa, do Grupo Gay da Bahia (GGB), é feita a partir de notícias – e só uma pequena parcela dos casos chega aos jornais.

Depois, não existia tradição entre gays, lésbicas e afins de denunciarem agressões e atribuírem a elas motivação homofóbica – e como a homofobia também não é crime, dados oficiais são apenas um sonho.

Diante disso, é inevitável haver uma polêmica: a homofobia tem crescido, ou só está mais visível? Há ativistas que apostam na segunda alternativa. Uma militante lésbica propôs um questionamento: como o Rio, que segundo a mesma Época, recebe 800 mil turistas homossexuais por ano, pode ser uma cidade homofóbica e sustentar esses números?

Crescimento

Sim, é mais agradável a ideia de que a aceitação, e não a violência, tem crescido. Até há base para isso, corroborada por especialistas e por pistas dadas pelas parcas estatísticas: à medida que crescem a aceitação e a exposição dos LGBTs, os grupos que os rejeitam se sentem mais ameaçados ou com mais raiva e se tornam mais violentos.

No entanto, é preciso cuidado com isso, pois se tende a mascarar a gravidade da coisa. Ora, se o argumento é verdadeiro, a conclusão lógica é que os crimes de maior gravidade por motivação homofóbica, como os homicídios, realmente pioraram. Em outras palavras, os gays até sofrem hoje menos homofobia – mas, quando sofrem, esta tende a ser mais grave, mais intensa, mais virulenta. O resultado é uma escolha de Sofia. O que é melhor? Sofrer mais agressões, menos severas, mais vezes; ou sofrer menos agressões, mas mais violentas e poder ir a óbito numa delas?

Ademais, se é verdade que a homofobia não aumentou e só está mais visível, somos levados a pensar que a situação é terrível. Quer dizer, então, que há um sem-número de gays assassinados, agredidos, espancados e defenestrados que só não apareciam porque se falava menos? Se tudo que temos noticiado já acontecia, isso torna a realidade pior, e não melhor do que a ideia de que a homofobia tem recrudescido.

Trata-se, portanto, de uma falsa polêmica. Se for verdade que, em números, os casos de homofobia não têm crescido, parece verdade que eles cresceram em gravidade. Isso torna o problema sério e dá argumentos para dizer que, sim, a homofobia aumentou, pelo menos em uma característica.

Afinal, se antes, você passava por dezenas de pessoas e ouvia piadas e agressões verbais da maioria, mas voltava para casa, hoje você pode passar por dezenas que não se importam com sua sexualidade – mas se deparar com uma que espanca e mata. Você se sente mais seguro assim? Eu não.

Texto publicado na revista SEX BOYS 82 (15/04 nas bancas).

terça-feira, março 29, 2011

Os 10 melhores destinos gays do mundo

O site de turismo norte-americano lonely Planet, considerado um dos mais influentes do mundo, listou os 10 destinos turísticos que melhor recebem o turista gay.

rj

O líder do ranking é San Francisco. O Rio de Janeiro, única cidade brasileira, que aparece na lista, está na oitava posição.


Confira a lista completa:

1. São Francisco, Estados Unidos
2. Sydney, Austrália
3. Brighton, Inglaterra
4. Amsterdã, Holanda
5. Berlim, Alemanha
6. Puerto Vallarta, México
7. Nova York, Estados Unidos
8. Rio de Janeiro, Brasil
9. Praga, República Tcheca
10. Bangkok, Tailândia

segunda-feira, março 28, 2011

Papa versão mangá para revista em quadrinhos

Gibi de Bento VXI será distribuído durante a Jornada Mundial da Juventude

Depois da criação do site Pope2you.net com aplicativos para Facebook e iPhone, e um canal de vídeos no Youtube, o Papa agora virou mangá em gibi.

20110325150801692 Essa é mais uma tentativa de aproximar os adolescentes da Igreja Católica

É isso mesmo, a autoridade máxima da Igreja Católica aparece sorridente e cercada de adolescentes em revista que será distribuída na Jornada Mundial da Juventude, projeto de iniciativa de seu antecessor, o Papa João Paulo II (1920-2005).

A Jornada Mundial da Juventude rola em Madri, na Espanha, entre 16 e 21 de agosto, reunindo cerca de 300 mil pessoas para acompanhar 100 espetáculos de todo o mundo. Seis atrações brasileiras estão confirmadas no evento: Rosa de Saron, Dominus, Irmã Kelly Patrícia, Márcio Cruz, Ministério Eucarístico e Comunidade Católica Shalom.

Fonte: UAI

Neymar foi vítima de racismo em Londres

ney1 Fonte: O tempo

Mais um episódio envolvendo atitudes racistas de torcedores europeus foi registrado no universo do futebol. Desta vez, a vítima do preconceito foi o jovem atacante Neymar, autor dos dois gols do Brasil no amistoso com a Escócia, neste domingo, no Emirates Stadium, em Londres.

Aos 22 minutos do segundo tempo, um casca de banana foi arremessada das arquibancadas e caiu próximo do camisa 11, que fazia mais uma bela jogada de ataque. Assim que o jogo foi parado, o volante Lucas Leiva retirou a casca do gramado que, ao que tudo indica, foi lançada por integrantes da torcida escocesa “Tartan Army”.

"Racismo não tem espaço no mundo. Na Europa, que diz ser do primeiro mundo, é onde acontece mais. A gente tem que, com a nossa imagem, tentar mudar isso, porque cor e raça não quer dizer nada", lamentou Lucas Leiva, que atua no Liverpool.

Visivelmente chateado, Neymar preferiu não polemizar. "Esse clima de racismo é totalmente triste. A gente sai do nosso país, vem jogar aqui na Europa e acontece essas coisas. A gente prefere nem tocar no assunto, para não virar uma bola de neve", afirmou o atacante em entrevista à Sportv.

O ato de racismo foi negado pelo porta-voz da torcida escocesa. "Neymar foi criticado porque acreditamos que estivesse fingindo uma lesão. O racismo não tem espaço na Tartan Army e se existisse, nós trataríamos de eliminá-lo", garantiu o representante da “Tartan Army.

Há uma semana, outros dois brasileiros foram vítimas de racismo na Europa: Roberto Carlos, do Anzhi, da Rússia, e Marcelo, do Real Madrid, da Espanha.

domingo, março 27, 2011

Com renda alta e sem filhos para criar, homossexuais fazem economia girar

Cristiane Bonfanti

Fonte: Jornal Estado de Minas

20110327091447657622i O empresário e maquiador Fábio Martins desembolsa R$ 2 mil por mês com roupas: "Sempre gastei conforme minha renda"

Geralmente sem filhos, com renda elevada e sem as despesas tradicionais das famílias, os gays têm mais tempo e dinheiro para gastar com produtos e serviços. Eles fazem parte de um grupo que está em busca, quase sempre, de produtos diferenciados e de qualidade. E compram, geralmente, mais que o restante da população. A depender do segmento, gastam o dobro da média dos consumidores. O mercado voltado para esse público nunca esteve tão aquecido. Com mais reconhecimento na sociedade, os homossexuais estão conquistando o seu espaço na economia e fazendo a roda do consumo girar.

Para especialistas, as empresas que não ficarem atentas perderão a oportunidade de alavancar seus negócios. Douglas Drumond, presidente da Câmara do Comércio GLS do Brasil, garante que há um potencial enorme a ser explorado no Brasil. “Precisamos de um mercado que entenda o que o público gay quer. Ele busca respeito, atenção e qualidade. Na Europa e nos Estados Unidos, existem hotéis, restaurantes e boates com conceito diferenciado”, exemplifica. Proprietário da casa noturna Clube 269, Drumond calcula que o movimento no lugar cresceu, só neste ano, 25% em relação a 2010.

O setor de turismo é um dos que revela a pujança desse mercado. Presidente da Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e Simpatizantes (Abrat-GLS), Almir Nascimento lembra que a Parada Gay de São Paulo é um dos principais termômetros do setor. Em 2010, foram 403 mil visitantes na cidade. Eles gastaram R$ 188 milhões com hospedagem, alimentação, entretenimento, transporte e compras.

Agora, o país vai se preparar para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, eventos que atrairão todo tipo de público. “Em outubro do ano passado, assinamos um acordo de cooperação com o governo para tornar o Brasil um destino GLS mundial. Vamos começar a capacitar trabalhadores de áreas como transporte, alimentação e hotelaria em 14 estados para receber essas pessoas”, diz Nascimento.

Comida boa

Há empresas de olho nesse filão. Criada em 2006, a Agência de Turismo Friendly é voltada exclusivamente para o público gay. “Estudamos o roteiro turístico em

Alice Mesquita, do restaurante Alice:

Alice Mesquita, do restaurante Alice: "Eles são exigentes"

países como a Espanha e vimos que, no exterior, há uma segmentação para esse mercado, com hotéis, restaurantes e festas específicas. O nosso diferencial é o atendimento. Aqui, as pessoas ficam à vontade para dizer que vão viajar com o namorado ou a namorada do mesmo sexo”, relata o proprietário, Roberto Dunkel.

O empresário, maquiador e fotógrafo Fábio Fernando Mendes Martins, 32 anos, ilustra bem a disposição do público gay para consumir. Ele desembolsa entre R$ 20 mil e R$ 25 mil por ano com viagens nacionais e internacionais.

Mensalmente, são cerca de R$ 3 mil com restaurantes e festas e algo perto de R$ 2 mil com roupas. “Eu sempre gastei proporcionalmente à minha renda. A diferença é que, hoje, uso meu dinheiro com mais qualidade, pois há mais empresas preparadas para nos atender. Como não temos filhos, sobram recursos para outras despesas”, admite Fábio.

Para os que desejam restaurantes exclusivos, por exemplo, Brasília ainda não tem muitas opções. Mas há lugares que se destacam pelo bom atendimento. O Alice Brasserie, no Lago Sul, ficou conhecido pelo ambiente descontraído ao longo dos seus 15 anos de existência. “Quando inauguramos a casa, tínhamos garçons gays que ajudaram a atrair esse público e, desde então, houve essa identificação. Eles são exigentes, bem-humorados, sabem o que estão comendo”, conta a proprietária, Alice Mesquita.


Bancos querem as contas recheadas

O mercado financeiro ainda não explorou todo o potencial dos clientes gays. Mas já começou a criar produtos que se encaixam no perfil dos casais homossexuais. Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú Unibanco e Santander, por exemplo, oferecem a opção de composição de renda para casais do mesmo sexo para o financiamento imobiliário. As instituições prometem novidades para breve.

sábado, março 26, 2011

Ministra do STJ defende reconhecimento da união entre casais do mesmo sexo

1

A ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Nancy Andrighi, defendeu nesta sexta-feira (25) o reconhecimento da união entre casais do mesmo sexo. Durante discurso no 1º Congresso Nacional de Direito Homoafetiva, ela criticou a "lacuna legal" de garantia a esses casais e pediu que os juizes decidam sobre a questão de forma "harmoniosa".

"A legislação que regula a união estável deve ser interpretada de forma expansiva [em relação à união de casais heterossexuais] para que o sistema jurídico ofereça a devida proteção à união dos homossexuais, o que consistirá num resultado natural da evolução concebida no imaginário social como necessária útil e desejada pelas pessoas e pelas comunidades", afirmou Nancy.

De acordo com a ministra, a vida moderna tem formado famílias com os mais diversos arranjos que devem ser tratados da mesma maneira.

"É claro que o Direito não regula sentimento, mas define relações com base nele geradas", afirmou sobre relações baseadas no afeto, no interesse comum e no cuidado mútuo. Por isso, sem que o Congresso Nacional se "amolde a realidade", ela disse que é dever dos juízes "emprestar os feitos jurídicos adequados as relações já existentes", quando demandado.

No sentido de orientar decisões do Judiciário, a ministra também citou o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos, de 2009, que por defender a universalização de direitos em contextos de desigualdades pode ser usado nos julgamentos. "Basta buscar legislação em vários pontos para decidir, diante da omissão do nosso Parlamento, com base na igualdade".

AGÊNCIA BRASIL

sexta-feira, março 25, 2011

Japonês cria espermatozoide em laboratório pela primeira vez

Publicado no Jornal OTEMPO em 25/03/2011

diminuator.php

Tóquio, Japão. Pela primeira vez na história, cientistas conseguiram desenvolver spermatozoides em laboratório a partir de um estudo que pode ajudar a resolver os problemas de fertilidade em seres humanos. O trabalho, publicado na revista "Nature", é a tentativa mais bem-sucedida até hoje de criar espermatozoides de mamíferos em laboratório.

Pesquisadores japoneses da Universidade da Cidade de Yokohama cultivaram pequenos pedaços de tecido dos testículos de ratos congelados. Depois de várias semanas, eles coletaram espermatozoides viáveis a partir do tecido.
No processo inovador, os cientistas tentaram fornecer quase todos os componentes da formação natural das células. Para que elas se desenvolvessem totalmente, eles adicionaram KSR, produto muito usado em culturas de células-tronco.

Os espermatozoides foram, então, usados em um tratamento de fertilização in vitro, produzindo 12 filhotes, todos saudáveis e férteis.
"Um dos problemas que enfrentamos, como urologistas, é que não temos meios eficazes para tratar pacientes que sofrem de infertilidade masculina, devido à insuficiente produção de espermatozoides ou com defeito", disse Takehiko Ogawa, que conduziu o estudo. "A maioria desses problemas é por razões desconhecidas", disse.

Segundo ele, a nova técnica vai permitir aos cientistas estudar em detalhes o processo de produção de espermatozoides e elucidar as falhas que causam a infertilidade.

A produção de espermatozoides de mamíferos em laboratório era tentada há décadas. A criação dessas células masculinas é conhecida como espermatogênese e costuma demorar 64 dias em humanos e 35 em ratos, segundo os pesquisadores.

Célula masculina tem poro que "sente" hormônio do óvulo

Tóquio. Embora seja a menor célula do corpo humano, o processo que produz o espermatozoide é complexo e demorado. Seu tamanho diminuto e a complexidade de sua estrutura mantiveram muitas de suas propriedades em segredo até agora.

Na semana passada, pesquisadores finalmente anunciaram como o espermatozoide é atraído para o óvulo: uma espécie de poro das células "sentiria" a presença de progesterona e dispararia o mecanismo.
O sucesso com os camundongos abre as portas para a experiência em humanos, mas ainda não há previsão disso. "Estou confiante de que conseguiremos aplicá-la em animais maiores", disse Takehiko Ogawa, chefe do trabalho.

quinta-feira, março 24, 2011

Jeová Surfistinha: soberania de Deus, ou despotismo divino? Uma questão crucial ao relacionamento do Deus amor

j3

A questão da soberania como um atributo divino, na mente de muitos evangélicos, considera aspectos de um sistema monárquico medieval, no qual os elementos da suposta ‘soberania’ do Estado se confundiam com elementos de uma soberania divina. Ou seja, o Estado era visto como algo que controlava a natureza má do homem, o homem do pecado, e o controlava com espada e justiça. Uma confusão reinava entre: o que era Igreja e o que era Estado, sendo o Estado como a mão da Igreja (manus ecclesiae), o poder absoluto não podia ser questionado, não admitia ser contrariado, sob pena de suplícios e morte.

O poder absoluto nesse conceito não admitia limitação de forma alguma, pois não podia ser atingido pelas leis que ele mesmo prescrevia. Quando o poder não tem limites, o próprio conceito de abuso se torna contraditório. Assim, não há critério lógico que distinga o rei do tirano, a não ser por meio de juízos de valor. Se o poder é supremo não pode haver nada que diferencie o tirano do rei, no que se refere à amplitude do poder.

Muitas vezes a tirania da Igreja e de seus representantes era considerada aceitável, pois refletia a “soberania divina”, mas, que de fato, não passava de um conceito despótico da relação de poder, atribuída em Deus, erroneamente travestida de poder do Deus Soberano.

Destarte o poder teocrático, ou a forma teocrática de soberania, inclusive a calvinista, não diz de um Deus soberano, mas de um Deus despótico e tirano, em que o despotismo é poder absoluto concentrado nas mãos do governante, e o homem (e toda a criação) tratado como escravo, sem condições de tomar decisões, totalmente rendido e submetido a esse poder, pois a autoridade de um déspota é inquestionável e opressora.

Soberania é autoridade suprema, não dividida, que não conhece superior na ordem externa nem igual na ordem interna. Contudo, pode ser limitada, ao fixar leis, submetendo-se às mesmas. Assim, há diferença entre a soberania e o despotismo; sutil, mas real. A autoridade soberana considera a lei sobre todos, e inclusive sobre si mesma- ninguém dá as leis ou as dita ao poder soberano, provem de sua autoridade, mas ao se submeter às leis que vêm de si mesmo, limita-se por escolha própria. Já o déspota não governa com leis fixas, pois não há leis, uma vez que ele não se submete as mesmas, mas antes, governa por decretos, que não são fixos, e expressam o caráter de sua vontade tirânica submetendo a todos sem os considerar nas decisões.

Quando Deus criou, ele o fez por amor, sua essência é o próprio amor, a criação existe, o homem existe, você e eu existimos pela essência amorosa de Deus, ou seja, por aquilo que ele é. Nesse momento Deus estabeleceu regras, ele não apenas criou tudo que há soberanamente, mas soberanamente FIXOU regras, e escolheu observá-las, soberanamente. Contudo limitou sua soberania, pois respeita sua própria conduta, às próprias regras que ele mesmo criou. O déspota não as respeita, ele decreta novos acontecimentos, pois suas regras não são fixas, mas fazem parte de sua deliberada vontade.

Assim, todo o argumento que diz de um Deus sobrenano governando conforme lhe apraz, apenas satisfazendo sua vontade, sem considerar sua vontade na própria criação e autonomia da mesma, autonomia esta dada por ele, é um conceito sofistico por ignoratio elenchi, em que, um argumento que leva a uma determinada conclusão: Deus é soberano. É dirigido para provar uma conclusão diferente: DEUS É DÉSPOTA.

Ainda, há que ser estabelecida à questão da autonomia, em que esta não se confunde com soberania. A autonomia é a capacidade interna de se auto-orientar, soberania é a expressão da unidade de uma ordem, ou seja, na autonomia a vontade individual se auto-orienta em determinados conceitos, sem orientar todos os conjuntos. Na soberania todos os conjuntos estão estabelecidos. Lutero compreendia isto, quando em sua teologia afirmava:

O homem pode viver exteriormente de maneira honesta e escolher entre aquelas coisas que a razão compreende, pois todos têm entendimento e razão naturais, inatos. Não no sentido de que sejam capazes de algo no que concerne a Deus, como, por exemplo, amar e temer a Deus de coração. Somente em obras externas desta vida têm liberdade para escolher coisas boas ou más. Por obras boas entendo as de que é capaz a natureza, tais como trabalhar ou não no campo, comer, beber, visitar ou não um amigo, vestir-se ou despir-se, edificar, tomar esposa, dedicar-se a um ofício ou fazer alguma outra coisa proveitosa e boa. Tudo isso, entretanto, não é nem subsiste sem Deus; ao contrário: dele e por ele são todas as coisas. Por outro lado, pode o homem também praticar por escolha própria o mal, como, por exemplo, ajoelhar-se diante de um ídolo, cometer homicídio, etc.

O fatalismo e determinismo, oriundos de uma visão supralapsarialista, não são a verdade da soberania, pois negam a comunhão amorosa de Deus com sua criação, advogam um Deus que toca na terra e a fere, pois assim consiste sua vontade e seu decreto antes de todas as coisas, sem regras, sem nada respeitar, apenas sua vontade sádica. Por sua soberania, a vontade individual, as decisões, as catástrofes naturais, tudo está fatalmente determinado, sem necessariamente uma lei, um padrão, algo que o próprio Deus déspota respeite.

Destarte, declarações que dizem que Deus possui todo o poder para realizar sua vontade conforme aquilo que o agrade são sentenças que decretam esse fatalismo e não respeitam o próprio Deus, sua essência, aquilo que ele é: o amor.

Jesus não agiu assim, quando ao se dirigir a Soberania de Deus orou: “Pai nosso que estais nos céus, santificado seja vosso nome, venha a nós o vosso reino, seja feita vossa vontade...” (vontade= θέλημα), compreende-se à escolha, inclinação, desejo, prazer. “...Assim na terra como no céus...” Significando que o nome de Deus é santo no céu, e sua santidade compreende plenamente seu parzer, sem frutração alguma, e que isso também seja na terra, assim como é no céu. O termo grego não usa vontade como o termo βοúλεμαι, querer no sentido de decidir, deliberar, plano, propósito. Ou seja, Deus quando se relaciona em sua santidade no céu, ele o faz pelo prazer autônomo, não pelo decreto soberano, e que isso também seja na terra- um relacionamento de amor, não por uma deliberação despótica.

Assim, nenhuma catástrofe está no plano de um prazer (thelema), ou de um decreto de soberania determinista, apenas faz parte de um movimento natural, um plano fixo, sem determinismo, que respeita as leis naturais, como o próprio Deus soberano as respeita em seu boulemai.

Há um circulo de fogo no pacífico, em que há movimentos de placas tectônicas, gerando terremotos e maremotos. Ao homem foi dada autonomia, para ir e vir, construir ou não nessas áreas, o homem ignora as leis naturais, fixadas por Deus, e por assim proceder, em sua ignorância, fica sujeito aos acidentes naturais. Deus não decretou isso, e nem é sua vontade que isso aconteça, mas constitui no movimento natural, a lei natural. O homem ignora porque ele quer.

Deus é amor, e não um Jeová Surfistinha, que pega ondas no pacifico para decretar sua vontade a bel prazer de toda sua criação, determinando quem vai morrer numa catástrofe para cumprir seu decreto, e ele ser soberano nisso, e mostrar ao homem quem é que manda.

Fatalismo e determinismo são heresias que contrapõem o amor de Deus, obscurecendo a relação do próprio Deus com o homem e sua criação, ofusca a salvação, e toda a graça. Um Deus que se revela na catástrofe por soberania não é Deus e sim o próprio DEMÔNIO, que veio para matar, roubar e DESTRUIR.

quarta-feira, março 23, 2011

Policial "Don Juan" agora pede perdão

Em e-mail igual para as cinco, policial se diz arrependido e quer virar evangélico

Publicado no Jornal OTEMPO em 23/03/2011

DOUGLAS COUTO

Praça Duque de Caxias, Santa Tereza-BH/MGst 

Ele se diz arrependido e disposto a reparar o "erro". O policial militar acusado de, mesmo casado, manter relacionamentos amorosos simultâneos com cinco mulheres e ainda dar um golpe financeiro em duas delas, agora busca o perdão. Depois de ter sido desmascarado pelas amantes, que decidiram processá-lo por danos morais e materiais, o militar Gilberto Lima Tregelas, o cabo Lima, 46, lotado no Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam), em Belo Horizonte, voltou a ligar ontem para elas, insistindo no perdão. Duas das mulheres traídas confirmaram que falaram com o agora ex-namorado, por telefone. Elas, no entanto, disseram que não aceitaram os pedidos de desculpas.

O cabo Lima também falou à reportagem de O TEMPO e disse que está pronto para se pronunciar na Justiça, caso seja processado. "Eu não tenho que confirmar ou negar nada. Se for o caso de falar, daqui para frente, só falo para um juiz. Se tiver que me retratar a alguém, farei isso direto com quem de direito", afirmou. Em seguida, não atendeu mais as ligações.

Por e-mail, o militar fez um apelo emocionado às antigas companheiras. Como das outras vezes, usou o mesmo texto para todas. Ele disse estar buscando no "entendimento religioso" a melhor compreensão para o que aconteceu e falou que vai virar evangélico. "Vocês não sabem o que tenho passado no meu interior de tanta vergonha. Eu era prepotente e achava que tudo era da forma como eu queria, mas aprendi que nada nesse mundo é como a gente quer. Estou, humildemente, me redimindo", escreveu.

A reportagem esteve ontem na casa do policial, no bairro Santa Tereza, região Leste da capital, mas nem ele e nem a mulher oficial foram encontrados.

A descoberta da farsa do "Don Juan" aconteceu por acaso, há menos de duas semanas, quando uma das mulheres encontrou no celular do cabo Lima cópias idênticas das mensagens de amor que ela havia recebido e que foram enviadas a outras quatro mulheres. Indignada, a mulher, uma executiva de 23 anos, procurou as rivais que, juntas, desmascararam o policial. Elas, no entanto, foram surpreendidas por uma nova descoberta. O galanteador é casado.

Da mulher oficial elas ouviram que "não eram as primeiras, nem seriam as últimas".

Ontem, a jovem que denunciou a farsa contou que está com medo. "As pessoas estão me alertando para que eu tome bastante cuidado. Ele (cabo Lima) me ligou, disse que viu o jornal, foi muito frio ao telefone. Estou aterrorizada".

Decepção

"Ele é um assassino de sonhos",  diz uma vítima

"Ele é um assassino de sonho. Destruiu a minha vida". O desabafo é de uma enfermeira, de 39 anos, uma das cinco mulheres que caiu na lábia do policial militar. Após seis anos enganada pelo "Don Juan", ela diz estar convivendo agora com a dor da decepção.


"Isso aconteceu justo comigo, que sou divorciada e tenho horror a homem casado. É triste a decepção, mas serviu para mostrar que a gente não conhece as pessoas. Acabei me entregando a um desconhecido", disse.

Ela contou que ao longo da relação chegou a contrair empréstimos para o então namorado. Os valores ela não quis divulgar, mas disse que cabo Lima ainda a deve algumas prestações. "Que isso nos sirva de experiência", disse.
O caso da enfermeira e do policial começou em 2005. Assim como as outras quatro mulheres, ela se lembra que se rendeu aos galanteios do conquistador. "Acho até que foi o melhor romance da minha vida. Ele era um homem incrível, carinhoso. Não tinha como desconfiar de nada".

No batalhão, todos querem saber quem é o galanteador

A história do militar "Don Juan", contada com exclusividade por O TEMPO, dominou ontem as rodas de conversa entre os colegas de farda. Na sede do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam), em Belo Horizonte, onde o cabo Lima é lotado, os policiais queriam saber quem era o colega de farda acusado de dar o golpe amoroso nas mulheres.

"Não se fala em outra coisa por aqui. O pessoal quer saber quem é esse militar. É um apontando para outro. Ficou até engraçado", disse um soldado, que pediu para não ser identificado.

Apesar da repercussão do caso, que agora poderá ganhar novos capítulos nos tribunais, a corporação, por enquanto, disse que não irá se manifestar oficialmente. "É um caso pessoal e não profissional", alegou a assessoria da corporação. (DC)

terça-feira, março 22, 2011

BH: PMMG, “Don Juan” em ação!

"Don Juan" de fardas é desmascarado por amantes

Esposa disse que traição do marido não foi a primeira nem será a última

Fonte: O Tempo

and2Avenida dos Andradas, lugar em que o PMMG conhecia suas vítimas 

Um policial militar de Belo Horizonte vai precisar de muito mais que charme e boa conversa para garantir sua inocência numa ação por danos morais à qual ele poderá responder na Justiça. O militar, de 46 anos, lotado no Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam), é acusado por cinco mulheres de manter relacionamentos amorosos simultâneos e ainda dar um golpe financeiro em pelo menos duas delas.

A farsa foi desmontada no último dia 19, quando uma das namoradas do policial descobriu que, além dela, outras quatro mulheres mantinham relacionamentos com o policial. Revoltada, ela localizou as rivais e, juntas, as cinco desmascararam o militar. Agora, elas pretendem cobrar na Justiça os prejuízos morais e materiais causados pela decepção amorosa.

As vítimas do "Don Juan" de fardas, todas mulheres de classe média, tiveram uma surpresa ainda maior no último sábado, quando armaram o flagrante ao galanteador. Já na casa do policial, no bairro Santa Tereza, região Leste, foram surpreendidas ao vê-lo chegando, de mãos dadas, com a mulher oficial. A decepção foi maior ainda quando a mulher do militar deu um recado às amantes: "Vocês não são as primeiras nem serão as últimas".

A descoberta da farsa foi casual. Aconteceu depois que uma das amantes do policial, uma executiva de 23 anos, encontrou o telefone celular do namorado no carro. Ela não pensou duas vezes e vasculhou a agenda do aparelho. Descobriu que exatamente as mesmas declarações de fidelidade e paixão enviadas a ela através de mensagens desde o início do relacionamento, há um ano e quatro meses, eram compartilhadas com as outras quatro mulheres.

"Anotei os números das outras namoradas e entrei em contato. Descobri que essas mulheres também vinham sendo traídas há muitos meses". A faixa etária das vítimas do "Don Juan" varia entre 23 e 39 anos. Além da executiva, ele se relacionava com uma funcionária pública com cargo de chefia na prefeitura da capital, uma administradora, uma designer de interiores e uma enfermeira.

Algumas semelhanças confirmaram o "modus operandi" do "Don Juan". Quase todos os romances começaram na avenida dos Andradas, onde ele aproveitava as caminhadas diárias para fisgar suas vítimas.

"Ele chegou e pediu para me acompanhar na corrida. Fomos conversando, ele se apresentou e tivemos um contato simples. Ele não é bonito, mas é inteligente e muito galanteador. Dizia ser divorciado. Mandava mensagens falando que precisava de um amor na vida. Eu estava carente e acabei caindo na lábia dele", disse a designer de interiores, de 36 anos.

Golpe

Ele pediu dinheiro para ter arma nova

A funcionária pública, de 39 anos, uma das vítimas, conta que não desconfiou da possibilidade de o namorado ser um enganador. "Parecia um excelente homem. Me chamou até para morar fora com ele. Eu era apresentada aos amigos dele como a namorada. Não tinha como desconfiar de que ele era casado e ainda por cima tinha outras quatro amantes", disse ela. Todas as vítimas do policial pediram para não terem os nomes divulgados.

á com a executiva, o romance começou em novembro de 2009, pela internet. "Ele me encontrou pela internet. Me convidou para conversar e tomar um vinho. Foi muito galanteador. Disse ser divorciado e que, até então, nunca havia encontrado o amor da sua vida. Fiquei apaixonada", disse.

A relação parecia tão sólida que o militar chegou a pedir, algumas vezes, dinheiro emprestado para ela. "Emprestei R$1.500 para comprar uma arma nova, e, até hoje, ele não me pagou. Ele ainda estava tentando me convencer a financiar uma moto para ele". (DC)

Especialista

Caso é típico de estelionato

Para o advogado Nacib Rachid Silva, presidente da Comissão de Direito de Família da OAB-MG, esse é o caso típico de um estelionatário, que lança mão de galanteios para conseguir alguma vantagem em relação às vítimas. Segundo ele, o crime é punível com processos tanto na área cível quanto na criminal.

O advogado explicou que o caso se configura como golpe a partir do momento em que o autor usa a boa-fé das vítimas. "É um golpe em que ele se faz passar por amante, conquista a confiança delas para obter algum tipo de vantagem econômica. Nessa posição, ele age como um estelionatário", disse o especialista.

Há ainda a possibilidade de o processo ser por danos morais, como cogitam as vítimas do "Don Juan" de fardas. "Nesse caso, o juiz é quem vai analisar, caso a caso, os prejuízos que as pessoas tiveram", disse o advogado.

Preso.Na última quinta-feira, 17, um estelionatário suspeito de lesar várias mulheres e se passar por um representante do grupo do empresário Eike Batista foi preso no bairro Floresta, na capital. O estelionatário passou a ser investigado depois que a ex-namorada o denunciou por ameaças. Segundo a vítima, o estelionatário a obrigou a entregar a ele R$ 100 mil. A Polícia Civil desconfia de que ele tenha aplicado o mesmo golpe em outras mulheres. (DC)

Por e-mail, galanteador diz que vai sair da cidade e escolheu a mulher com quem vai ficar

Mesmo desmascarado, o policial galanteador não parou de agir. Assim como nas mensagens de amor e paixão idênticas que costumava enviar às amantes, ontem, ao tentar se desculpar pelas traições, ele adotou a mesma estratégia. Por e-mail, mandou exatamente o mesmo texto para todas as ex-namoradas. Na mensagem, ele lamentou o que chamou de confusão.

"Realmente meti os pés pelas mãos e machuquei pessoas que realmente não mereciam sofrer (…). Sei que é difícil perdoar, mas me perdoe", disse no texto.

Num outro trecho da mensagem, ele afirmou que pretende se mudar de Belo Horizonte para continuar "vivendo uma vida sem mentiras e de forma diferente". No e-mail, o "Don Juan" deixa entender que escolheu com qual das seis mulheres quer ficar. "Vou assumir uma pessoa que nunca deveria ter deixado por capricho meu, mas que sempre me deu uma moral que eu nunca observei. Não vou dizer quem é a pessoa por questões lógicas, mas é o mais certo a ser feito.Se você achar que mereço o perdão, perdoe. Se achar que devo pagar, vou pagar", finalizou. O militar foi insistentemente procurado ontem, mas não retornou as ligações, nem respondeu aos recados na caixa postal do seu telefone celular. (DC)

As artimanhas do conquistador

Ele se apresentava como solteiro ou divorciado, que ainda morava com a mãe.
Dizia estar à procura do amor da sua vida.

Contava que tinha um filho, que morava com a ex-mulher.

Algumas das vítimas, ele conheceu nas caminhadas matinais na avenida dos Andradas. Outras foram abordadas em shows de pagode e também houve abordagens pela internet.

Sempre presenteava as amantes com flores e habitualmente as convidava para um programa a dois.

Após conquistar a confiança da vítima, pedia dinheiro emprestado dizendo que iria comprar arma ou munição.

Beijaço pelos corredores do Shopping Curitiba

Ativistas promovem “beijaço” em shopping para protestar contra abuso de seguranças

Aproximadamente 30 adolescentes e jovens fizeram uma manifestação em frente ao estabelecimento e andaram de mãos dadas pelos corredores do Shopping Curitiba, no Paraná.

Ativistas promovem beijaco em shopping para protestar contra abuso de segurancas

Os jovens, da Ong Aliança Paranaense LGBT, promoveram um beijaço na frente do estabelecimento para se queixar de seguranças e funcionários de lojas que teriam proibido que os gays e lésbicas andem de mãos dadas ou troquem beijos.

Além do beijaço, cartazes e bandeiras do arco-íris chamavam a atenção de quem passava pelo grupo.

O gerente operacional do Shopping Curitiba, Rubens Silvestre, disse que o estabelecimento desconhece qualquer reclamação de ação indesejada por parte dos seguranças e deixa claro que o estabelecimento instrui os funcionários a não discriminarem o público gay.

O gerente acompanhou a manifestação pacífica e instruiu que os participantes denunciem qualquer irregularidade cometida por seguranças para o Serviço de Atendimento ao Consumidor do Shopping.

Daniel Radcliffe vai receber prêmio por ajudar gays

Daniel Radcliffe vai receber prêmio por apoio a jovens homossexuais

Fonte: Cena G

Daniel Radcliffe vai receber premio por apoio a jovens homossexuais(1)

O ator Daniel Radcliffe, o mago Harry Potter dos cinemas, vai receber um prêmio em em Nova York por conta do trabalho dele na prevenção de suicídios de jovens gays.

Radcliffe, receberá em junho o prêmio com o qual a associação The Trevor Project reconhece o apoio de personalidades na luta contra os suicídios entre os jovens dessa comunidade.

"Os jovens merecem viver em um mundo que os aceite como são, sem levar em conta sua orientação sexual ou sua identidade de gênero".
O ator britânico colabora com a organização desde 2009, quando começou a aparecer em anúncios em apoio aos jovens da comunidade integrada por lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT).

Entre as personalidades que já receberam em outras ocasiões estão os atores Nathan Lane Neil, Patrick Harris e Vanessa Williams, assim como a humorista Kathy Griffin e o roteirista Dustin Lance Black, entre outros.

domingo, março 20, 2011

Deputado Jean Wyllys sofre ameaças de morte

20090217183139-news-jean_wyllys_170209

Fonte: Gay1

O deputado federal Jean Wyllys (Psol - BA) sofreu três ameaças de morte nesta sexta-feira (18) pelo Twitter. O professor e ex-participante do Big Brother Brasil atribui os ataques a fanáticos religiosos que se opõem a ele por defender no Congresso a aprovação da união civil homossexual. Wyllys também é a favor da distribuição de material didático anti-homofobia (chamado pejorativamente de "kit gay") nas escolas públicas.

Uma das mensagens direcionadas ao deputado nesta tarde dizia: "É por ofender a bondade de Deus que você deve morrer", conta Wyllys. A segunda ameaçava: "Cuidado ao sair de casa, você pode não voltar". E, por fim, outro recado na rede social afirmava que "a morte chega, você não tarda por esperar". O baiano respondeu avisando que denunciaria os casos a delegacia de crimes virtuais.

Esta não é a primeira vez que o parlamentar - assumidamente homossexual - se envolve em polêmicas na internet. Ele já entregou a seu advogado material que conseguiu guardar de dois perfis do Twitter que defendiam o assassinato de gays. Um dos internautas defendia ideias neonazistas, relata. Outro misturava ataques com pregações evangélicas. "São fanáticos, são pessoas doentes", afirma. "Não posso minimizar a responsabilidade dos pastores evangélicos nisso, porque eles conduzem as pessoas demonizando minorias".

Wyllys é favorável ao PLC 122, projeto de lei desarquivado pela senadora Marta Suplicy (PT - SP), que trata da união homoafetiva. Ele afirma que também foi alvo de críticas por conta de discursar a favor do polêmico "kit gay". Esse foi o "apelido" dado pelo deputado evangélico Jair Bolsonaro (PP - RJ) a cartilhas e vídeos sobre preconceito e bulliyng que o Ministério da Educação quer distribuir em escolas públicas.

Exposição

Quando primeiro se envolveu com ofensas a homossexuais na internet ainda este ano, o deputado conta que não havia sido atacado diretamente. Ele nega, porém, que a atitude de levar os dois primeiros casos à polícia tenha provocado retaliações. "Só reagi porque estavam incitando a morte de homossexuais".

Wyllys acredita que tenha se tornado alvo fácil também pelo status de "celebridade" conquistado com a participação no reality show da TV.

sábado, março 19, 2011

Neonazista muda de sexo na Alemanha

Ex-skinhead neonazista muda de sexo e vira democrata

20110319183914848

Monika Strub está jurada de morte por simpatizantes do partido neonazista NPD, da Alemanha. Isso porque, até 2002, ela era Horst Strub, um skinhead - que, como tal, odiava negros e homossexuais - integrante do partido de extrema-direita.

Atualmente, além da troca de sexo, Monika concorre a uma vaga no Parlamento de Baden-Württemberg pelo Die Linke, organização socialista de esquerda. A transsexual também trabalha como enfermeira em Stuttgart.

Em entrevista ao site Orange News, Monika afirmou que, apesar de não fugir de seu passado, se enxerga outra pessoa. "Não quero esconder o fato de que eu era um homem e pertencia à cena da extrema-direita. Mas hoje sou uma pessoa diferente e não tenho mais ligações com a NPD", disse.

Apesar das ameaças de morte, a candidata afirma que não se arrepende, em momento algum, por sua opção.

Fonte: UAI

quinta-feira, março 17, 2011

Fora da beleza não há salvação

beleza

Rubem Alves

Escrevo como poeta. Cummings disse que o mundo ilimitado de um poeta é ele mesmo. Narcisismo egocêntrico? Não. Invoco a Cecília Meireles para esclarecer. Dizia ela de sua avó: “Teu corpo era um espelho pensante do universo.“ Os poetas, diferentes dos cientistas que desejam conhecer o universo olhando diretamente para ele, só conhecem o universo como parte do seu corpo. Poesia é eucaristia. O poeta contempla a coisa e diz: “Isso é o meu corpo.“

Poeta, não sei falar cientificamente sobre o cristianismo. Só posso falar sobre ele tal como ele foi se refletindo no espelho do meu corpo, através do tempo.
Infância. Crianças não têm idéias religiosas. Nada sabem sobre entidades espirituais. Crianças são criaturas deste mundo. Elas o experimentam através dos sentidos, especialmente a visão. As crianças não têm idéias religiosas mas têm experiências místicas. Experiência mística não é ver seres de um outro mundo. É ver esse mundo iluminado pela beleza. Essas são experiências grandes demais para a linguagem. Dessas experiências brotam os sentimentos religiosos. Religião é a casca vazia da cigarra sobre o tronco da árvore.

Sentimento religioso é a cigarra em vôo. Menino, eu voava com as cigarras.
As idéias religiosas não nascem das crianças. Elas são colocadas no corpo das crianças pelos adultos. Minha mãe me ensinou a rezar. “Agora me deito para dormir. Guarda-me, ó Deus em teu amor. Se eu morrer sem acordar, recebe a minhalma, ó Senhor, Amém.“ Resumo mínimo de teologia cristã: há Deus, há morte, há uma alma que sobrevive à morte. Depois vieram outras lições: “Deus está te vendo, menino...“ Deus vira um Grande Olho que tudo vê e me vigia. Meu primeiro sentimento em relação a Deus: medo.

As crianças acreditam naquilo que os grandes falam. E assim se inicia um processo educativo pelo qual os grandes vão escrevendo no corpo das crianças as palavras da religião. O corpo da criança deixa de ser corpo da criança: passa a ser o caderno onde os adultos escrevem suas palavras religiosas.

Muitas são as lições do catecismo. Deus é um espírito que sabe todas as coisas. Vê o que você está fazendo com as suas mãos, debaixo das cobertas, com a luz apagada. Deus é onipotente: pode fazer todas as coisas. Tendo poder absoluto, tudo o que acontece é porque ele quis. A criancinha defeituosa, a mãe que morre de parto, as câmaras de tortura, as guerras... As tragédias não acontecem. Deus as produz. Diante das tragédias ensina-se que se deve repetir: “É a vontade de Deus.“ É preciso fazer o que Deus manda pois, se não o fizer, ele me castigará. Se eu morrer sem me arrepender serei punido com o fogo do Inferno, eternamente. Essa vida do corpo, na terra, não tem valor. Vale de lágrimas onde os degredados filhos de Eva lamentam e choram, esperando o céu. O céu vem depois da morte. Deus mora no lugar que há depois que a vida acaba. O mundo é um campo de provas minado por prazeres onde o destino eterno da alma vai ser decidido. Para se amar a Deus e o seu céu é preciso odiar a vida. Quem ama as coisas boas da vida não está amando Deus. Negar o corpo: lacerações, abstenções, sacrifícios: essas são as dádivas que se deve oferecer a Deus. Deus fica feliz quando sofremos. De todos o prazeres os mais perigosos são os prazeres do sexo. Assim, é preciso fazer sexo sem prazer, sexo para procriar. Deus nunca foi visto por ninguém. Mas revelou a sua vontade a uma instituição: a Igreja, não importando se católica ou protestante. A ela, Igreja, foi confiada a guarda do livro escrito por inspiração divina, as Sagradas Escrituras, a “Grande enciclopédia dos saberes e das ordens divinas“. Sendo assim “fora da Igreja não há salvação“, porque fora da Igreja não há conhecimento de Deus.

Ludwig Wittgenstein fala sobre o poder enfeitiçante das palavras. Palavras enfeitiçantes: aquelas que nos possuem e nos impedem de pensar. Assim são as idéias religiosas: os corpos dos homens estão cobertos de palavras que, pelo medo, os dominam. “Possuídos“, não conseguem pensar pensamentos diferentes. Qualquer outra palavra pode significar o inferno. As inquisições, católica e protestante, jamais enviaram para a fogueira pessoas por seus pecados morais. Os pecados morais levam o pecador para mais perto da Igreja, pois ela tem o poder de perdoar. Queimados foram aqueles que tiveram pensamentos diferentes: Brunno, Huss, Serveto. Os crimes de pensamento afastam os homens da Igreja. Consequentemente, afastam os homens de Deus. Quem pensa pensamentos diferentes tem de ser eliminado ou pela fogueira ou pelo silêncio.

Durante muitos anos vivi enfeitiçado por essas palavras. Feitiços não se combatem com a razão. É sempre um beijo de amor que quebra o feitiço... Quem me beijou? Um Outro que mora em mim. Porque em mim mora não somente aquele que pensa mas aquele que sente. Barthes dizia: “Meu corpo não tem as mesmas idéias que eu“. Meu “eu“ pensava as palavras que haviam sido escritas no meu corpo. Mas o meu corpo pensava outras idéias. A verdade do meu corpo era outra. Ele amava demais a vida. Confesso: nunca me senti atraído pelas delícias do céu. E desconheço alguém que morra de amores por ele. Prova disso é que cuidam bem da saúde. Querem continuar por aqui.

Conheço, entretanto, pessoas que vivem vidas torturadas por medo do inferno.
Lembro-me, com nítida precisão, do momento em que tive a percepção intelectual que libertou a minha razão para pensar. Eu estava no seminário. Repentinamente, com enorme espanto, percebi que todas aquelas palavras que outros haviam escrito no meu corpo não haviam caído do céu. Se não haviam caído do céu, elas não tinha o direito de estar onde estavam. Eram demônios invasores. Abriram-se-me os olhos e percebi que essa monumental arquitetura de palavras teológicas que se chama teologia cristã se constrói, toda, em torno da idéia do inferno. Eliminado o inferno, todos os parafusos lógicos se soltariam, e o grande edifício ruiria.

A teologia cristã ortodoxa, católica e protestante – excetuada a dos místicos e hereges – é uma descrição dos complicados mecanismos inventados por Deus para salvar alguns do inferno, o mais extraordinário desses mecanismos sendo o ato de um Pai implacável que, incapaz de simplesmente perdoar gratuitamente (como todo pai humano que ama sabe fazer), mata o seu próprio Filho na cruz para satisfazer o equilíbrio de sua contabilidade cósmica. É claro que quem imaginou isso nunca foi pai. Na ordem do amor são sempre os pais que morrem para o que o filho viva.

Hoje, as idéias centrais da teologia cristã em que acreditei nada significam para mim: são cascas de cigarra, vazias. Não fazem sentido. Não as entendo. Não as amo. Não posso amar um pai que mata o filho para satisfazer sua justiça. Quem pode? Quem acredita?

Mas o curioso é que continuo ligado a essa tradição. Há algo no cristianismo que é parte do meu corpo. Sei que não são as idéias. Que ficou, então?

Foi numa sexta-feira da Paixão que compreendi. Uma rádio FM (Amparo) estava transmitindo, o dia inteiro, músicas da tradição religiosa cristã. E eu fiquei lá, assentado, só ouvindo. De repente, uma missa de Bach, e a beleza era tão grande que fiquei possuído e chorei de felicidade: “A beleza enche os olhos d\'água” (Adélia Prado). Percebi que aquela beleza era parte de mim. Não poderia jamais ser arrancada do meu corpo. Durante séculos os teólogos, seres cerebrais, haviam se dedicado a transformar a beleza em discurso racional. A beleza não lhes bastava. Queriam certezas, queriam a verdade. Mas os artistas, seres coração, sabem que a mais alta forma de verdade é a beleza. Agora, sem a menor vergonha, digo: “Sou cristão porque amo a beleza que mora nessa tradição. As idéias? Chiados de estática, ao fundo...“ Assim proclamo o único dogma da minha teologia cristã erótico-herética: “Fora da Beleza não há salvação...“

Texto publicado no site: A CASA DE RUBEM ALVES

terça-feira, março 15, 2011

Nos tsunamis de Jeová: reflexão sobre o teísmo fechado; uma heresia que se contrapõe à essência de Deus, o amor.

amor

A comunhão de Deus com sua criação, eis uma questão teológica que, de fato, torna essencial ao homem em sua concepção do sagrado, e sua relação com ele, à experiência da própria fé, à experiência do próprio Deus. Assim, esta é uma característica do cristianismo, que consiste no seu axioma; a relação de Deus com sua criação. O Deus cristão é um Deus relacional, sendo tal relação desde a eternidade, pela própria economia divina: Deus é trino, e se relaciona em sua trindade, em um movimento eterno de amor que envolve as três pessoas e as faz inseparáveis uma das outras.

É o relacionamento do Divino Três, relacionamento absoluto e, que por ser tão profundo, ao ser pronunciado, jamais exprimirá quantidade, mas uma ordem inefável de três que são um na comunhão. Cada pessoa está totalmente e plenamente na outra, um termo teológico designa tal ação de circuminsessio; a circulação do amor divino, onde cada pessoa habita perfeitamente na pessoa do outro. Jesus dizia isso, quando afirmava: “crede em mim, pois estou no Pai e o Pai está em mim (Jo 14,11).”.

Por circuminsessio vigora a total entrega do amor entre as três Pessoas, de forma intensa, absoluta, infinita e desta entrega formam a união. As três Pessoas possuem uma só vontade, uma só inteligência, um só amor. Assim elas não apenas constituem a comunhão entre si, mas se constituem como Pessoas na mútua entrega da vida e do amor. São distintas para se unir; e se unem não se confundindo uma com a outra, mas para uma conter a outra.

Esta eterna circuminsessio de amor e de vida entre o Deus trino constitui a fonte matriz de todo amor, vida e comunhão de Deus na criação, na revelação feita à imagem da TRINDADE.

Desta feita, Deus se revelou e ordenou, por mandamento, aos homens que estes vivessem no amor, tal mandamento consiste no próprio CONHECIMENTO- RELACIONAMENTO DE DEUS.

Assim, o próprio Jesus se expressou: “Os fariseus, tendo sabido que ele tapara a boca dos saduceus, reuniram-se; e um deles, que era doutor da lei, para o tentar, propôs-lhe esta questão: - "Mestre, qual o mandamento maior da lei?" - Jesus respondeu: "Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito; este o maior e o primeiro mandamento. E aqui tendes o segundo, semelhante a esse: Amarás o teu próximo, como a ti mesmo. - Toda a lei e os profetas se acham contidos nesses dois mandamentos." (MATEUS 22 , 34- 40.).”

Ainda, em Jo 17, 21 ele diz: “Que todos sejam um como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, para que eles estejam em nós e o mundo creia que tu me enviaste.”.

E concluindo, em I Jo 4,8: “Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor”.

Na verdade, o que acontece é que Deus, que por essência é amor, não ama apenas a si mesmo, sua essência não é presa internamente, mas se expande, transcende para fora de si. Deus se relaciona consigo e com sua criação, Deus ama a si, como ama a sua criação e a ela se revela, com o mesmo amor que o constitui, pois isso é o que Ele é; não sendo diferente disso.

O amor Deus é radical no encontro com sua criação, pois Deus é o próprio amor manifesto nela, tudo veio a existir porque ele é amor, e amou! E ao homem ele amou como a si mesmo. O fez a sua imagem e a sua semelhança, mas na radicalidade do Ser, manifestou-se novamente pleno de sua própria constituição, trazendo a sua imagem criada (o homem) por sua essência amorosa, para dentro de seu relacionamento, para dentro de si: Existindo na substância de Deus, não se apossou violentamente do ser igual a Deus, esvaziou-se de si mesmo, assumiu condição de servo, tornou-se semelhante aos homens.

Nas duas naturezas de Cristo: a divina e a humana, a natureza humana foi assumida na existência divina, porque Deus que é amor, simplesmente fez o que ele é: amou ao homem! Desta forma, aquele que não ama, jamais conhecerá, ou experimentará qualquer coisa da graça, do amor, da misericórdia de Deus. O amor é a essência de Deus por excelência, e nisso o Deus trino se consiste.

Há uma teoria de soberania de Deus, que afasta Deus de seu amor, por atos disformes do próprio Deus e de seu caráter essencialmente amoroso. Tudo começa por uma má interpretação do que seja a soberania divina. Esta tem necessariamente relação com sua constituição não depender de nada e de ninguém que a reconheça como ordem superior a ela, em outras palavras, não há Deus acima do Senhor, e nada que se iguale a ele. Deste modo ele é soberano, possui total autoridade sem se sujeitar a nenhuma fonte que o valide ou o sujeite, não conhece superior nem igual na ordem externa e nem na ordem interna. Somente Deus governa, o governo pertence a ele, mas ele o exerce, e assim o faz, por regras fixas.

Soberania não tem a ver com onipotência, caso fosse seria uma redundância dizer que Deus é soberano onipotente. Contudo, ela se relacionou com os aspectos do poder, onde, em determinado momento, o líder necessitava demonstrar sua soberania pela força do poder, da sujeição, do subjugo. Nascia o conceito do déspota, aquele que governa unicamente, sem objeção de nada e de ninguém- não se relaciona- pois o povo não tem condições de se expressar, e são tratados como servos, não há leis, pois governa por decretos, que são suas vontades sem regras fixas, a bel prazer dos seus mimos.

Quando o teísmo fechado diz de uma vontade soberana, cruel, que faz o que lhe dá prazer, e da forma a dispor de suas criaturas sem considerá-las no assunto, então o teísmo fechado não está falando mais de soberania e sim de despotismo. Não está falando de Deus, que é amor, e que considera a sua criação, pois nela, e por ela se move, o seu Espírito, com gemidos inexprimíveis (Rm 8, 26). Mas fala de um facínora, psicótico, que na máxima de sua loucura, satisfaz-se no sadismo de suas ações, decretadas para o seu gozo.

Um deus que na catástrofe escolhe ser deus, e se manifestar para se dizer soberano, não é deus, mas é uma aberração transposta do homem na imagem de um ser superior; é a vontade particular do indivíduo, que não sabe quem é DEUS, que não experimentou o seu amor, mas imagina algo absoluto, corrompido pela megalomania reprimida de um déspota, mas possível num discurso em que elege um outro como alvo da vontade do que se gostaria de ser.

O teísmo fechado não sabe o que é amar uns aos outros como eu vos amei, pois o deus despótico deles não desce do trono, não se esvazia de sua glória, não se relaciona com a humanidade, nem com sua criação. É o uno solitário, que não se move, é monoteísmo despido da trindade, que justifica um totalitarismo que Deus em sua essência afastou de si mesmo. Afinal, o argumento de que Deus está acima de todas as leis, não anula o que constitui Deus, o amor, não anula sua verdade nem sua justiça: Deus se relaciona eternamente em amor.

Assim, o deus do teísmo fechado é o Jeová dos tsunamis, solitário em sua grandeza, que resolve tocar na terra para esbugalhar os olhos puxados dos orientais e se comprazer nisso, é o deus totalitário, imagem do homem no poder, a-trinitário, que desconhece as palavras do Cristo, quando diz: “que todos sejam um, assim, Pai, como tu estás em mim eu em ti!”. Circuminsessio na essência daquele que É.

Para maior reflexão deixo esse bonita música que diz da ESSÊNCIA DE DEUS:

segunda-feira, março 14, 2011

Soldado da PMMG afirma que mata pelo prazer

Soldado Jason assume mortes e revela ter prazer em matar

Frieza assustou os médicos; ele riu das vítimas e disse não ter arrependimento

Publicado no Jornal OTEMPO em 14/03/2011

foto_13032011233934

Com ironia, no dia da sua prisão, o soldado Jason parecia tranquilo e sorriu para os fotógrafos

O soldado Jason Ferreira Paschoalino, acusado de envolvimento nas mortes de dois moradores do aglomerado da Serra, no último dia 19, confessou ter sido ele o autor dos disparos à queima-roupa contra as vítimas. Preso há 19 dias, o soldado fez as revelações a psiquiatras e assistentes sociais da Polícia Militar que o visitam diariamente no Batalhão de Vespasiano, na região metropolitana, onde ele está detido.

Na versão que deu sobre o crime, à qual a reportagem de O TEMPO obteve acesso com exclusividade, o policial do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) revelou uma personalidade que impressionou a equipe médica pela frieza. Disse que não se arrepende de ter matado os dois e chegou a zombar das vítimas. Nas várias horas de conversa com os especialistas, contou que entrou na Polícia Militar por diversão, "pelo prazer de matar".

Aos médicos e assistentes sociais, Jason assumiu sozinho a autoria dos disparos que mataram os moradores e disse que Jeferson Coelho da Silva, 17, foi executado porque tentou proteger o tio Renilson Veriano da Silva, 39, que, na versão do soldado, havia sido procurado pelos militares da Rotam para entregar o dinheiro de uma propina, pois teria ligação com o tráfico de drogas no morro. Na versão oficial da PM e de testemunhas, no entanto, nenhum dos dois tinha passagem pela polícia. "A frieza dele nos deixou chocados. Ele disse que não se arrepende", revelou uma fonte da Polícia Militar.

No dia 23 de fevereiro, quando foi preso, o soldado chegou a sorrir para os fotógrafos e cinegrafistas que o esperavam na porta do Instituto Médico Legal (IML), onde ele fez o exame de corpo de delito. Situação que, segundo a equipe que o atende, vem se repetindo dia após dia na carceragem.

Família.Apesar da aparente frieza em relação ao crime que provocou reação da comunidade da Serra, um ponto parece incomodar o soldado Jason. Casado há apenas seis meses com a estilista Bruna Rodrigues Gomes Costa, o policial demonstra nas entrevistas medo de que a mulher seja prejudicada profissionalmente com o escândalo.

Militares do Batalhão de Vespasiano confirmam que Bruna tem visitado o marido com frequência, mas as visitas acontecem quase sempre à noite. Procurada pela reportagem, a estilista não quis comentar o envolvimento do marido no crime e fez críticas à imprensa. "Sou formada em comunicação social e acho que a imprensa está exagerando. Estão expondo nossas vidas e julgando os meninos (policiais). Estão passando dos limites para vender uma manchete mais rentável", limitou-se a dizer.

Sigilo. Na cúpula da PM mineira, o escândalo envolvendo o soldado Jason é tratado com total sigilo.

Nos bastidores, a informação é de que ele pertence a uma família de policiais de alta patente, influentes na corporação. Justamente por isso, o caso estaria sob o controle direto do alto comando da polícia. Os relatórios sobre as sessões com o soldado são mantidos a sete chaves. Uma tia do soldado disse que a família não dará entrevistas.

Proteção

Cabo Fabio é poupado por colega do Rotam

Em depoimento à Polícia Civil e também na investigação militar sobre os crimes do aglomerado da Serra, o soldado Jason Ferreira Paschoalino não deu sua versão sobre o caso. No entanto, aos médicos e assistentes sociais fez questão de inocentar o colega de farda Fabio de Oliveira, 45, que se matou na prisão dois dias após ser preso acusado de envolvimento nas execuções no aglomerado.

Na versão dada à equipe médica, o soldado Jason disse que o colega, que na ocasião chefiava a equipe do Rotam, não teve qualquer envolvimento nos assassinatos. Jason explicou que o cabo Fabio, que tinha 23 anos de Polícia Militar, trabalhava no setor de manutenção do Rotam e na noite da ação no aglomerado estava cobrindo folga de um colega. "Ele não teve culpa nenhuma nisso", relatou.

Morte. O corpo do cabo Fabio foi encontrado na cela do 1º Batalhão no dia 25 de fevereiro. Segundo a PM, ele se enforcou com o cordão do short. (FB)

Policial confirma que versão das fardas foi inventada na hora

Na prisão militar, o soldado Jason Ferreira Paschoalino contou em detalhes como foi a operação forjada pelos militares do Rotam para entrar no aglomerado da Serra e cobrar a suposta propina de traficantes.

Ao falar com os médicos que o acompanham na prisão, Jason confirmou que os policiais simularam a troca de tiros e, com a chegada da imprensa, apresentaram a versão das fardas para reforçar a tese de que criminosos vestidos de policiais teriam recebido os militares a tiros.

O laudo parcial da perícia, no entanto, desmentiu a versão. Segundo a análise, Jeferson Coelho e o tio Renilson Veriano foram executados à curta distância, com uso de armas de grosso calibre.

Com a repercussão, o governador Antonio Anastasia cobrou apuração rigorosa do crime. A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia também acompanha a investigação. (FB)

Habemus stultos : interpretações das igrejas evangélicas sobre as catástrofes

terremoto-placas-tectonicas-600

Chega a tocar nas esferas da imbecilidade, o argumento que vem sendo disseminado, no meio evangélico, sobre a soberania de Deus e seus desígnios em relação às catástrofes NATURAIS.

Eu tenho senso de ridículo, mas a paralisia mental supersticiosa que envolve o movimento evangelicalista e reformado tem me dado náuseas nesses últimos dias.

Pastores e blogueiros têm ido aos seus respectivos públicos (e cada um tem o público que merece), dizendo que Deus está no controle de todas as coisas, e que se aconteceu alguma desgraça sobremaneira forte, ela assim procedeu pela vontade divina. Em contra partida, outros afirmam que Deus nada tem em relação a isso, e que deveras, ele também foi pego de surpresa, pois não deseja o mal.

Esse tipo de anencefalia era bem comum entre os medievais. Aliás, era o primeiro, o paradigma para todos os outros tipos de explicações. E não me assustarei, depois de tudo, se escutar ou ler por aí que essas catástrofes NATURAIS ocorrem por conta do pecado humano, uma forma de Deus sinalizar à humanidade sua insatisfação com a mesma. Óbvio que isso já ocorre silenciosamente, quando alguns por aí declaram: “Deus deseja ser conhecido assim, podemos não compreender, mas é como ele quer ser conhecido!”.

A tolice cristã é algo insuperável, quando os chamo de medievais, claro que estou ofendendo a memória do povo que viveu na Idade Média! Os cristãos são PRIMITIVOS. Sempre quando assisto algum filme que um deus qualquer, de uma tribo aborígene qualquer, deseja sacrifícios de sangue humano para aplacar sua ira e não castigar o povo, eu me lembro do Jeová! Sempre quando assisto filmes que envolvem as práticas de antropofagia, eu me lembro dos cristãos, comendo o corpo e bebendo o sangue de seu deus-homem.

As catástrofes recebem o nome de NATURAIS pelo dificultoso fato de se compreender, que são provocadas NATURALMENTE, sem intervenção qualquer de artifícios tecnológicos ou místicos. É uma lógica complicadíssima, mais difícil que física quântica! Assim, quando alguém constrói uma casinha para ter sua maravilhosa vida aos pés de um morro, em uma região de forte precipitação atmosférica, não precisa perder tempo orando, rezando a Deus para que o morro não venha a baixo, pois isso, mais cedo ou tarde, vai acontecer. O fato é natural, previsível, estimado, possível, verificado, funciona de acordo com a lógica dos efeitos físicos, programados pela própria natureza, conforme sua geografia, geologia, clima e desgaste.

Quando, alguém ocupa uma área plana, na beira de mar, no CÍRCULO DE FOGO DO PACÍFICO e não constrói uma muralha entre a área ocupada e o próprio mar, com certeza, e não precisa rezar ou orar a Deus para que não aconteça, pois vai acontecer, terá sua cidade costeira, litorânea, varrida pelas ondas provocadas pelos maremotos; aquelas ondas no mar que se dão devidas às atividades sísmicas da terra. E, ainda que se tenha radar sísmico, havendo um forte tremor com seu epicentro próximo à costa, 30 minutos, 20 minutos que for o tempo para se evacuar a região é pouco, e NATURALMENTE as mortes vão acontecer, não por desígnios místicos, mas pelo contexto natural e imprudência, aliadas a irracionalidade humana.

A terra é programada em suas atividades físicas e climáticas, essas atividades modificam o próprio espaço natural, muitas dessas modificações ocorrem pela destruição do espaço atual para sua própria renovação. O homem é dotado de razão para que ele se relacione com o meio ambiente, o compreenda, e assim usufrua do espaço ambiental da melhor forma possível. Mas ao longo da história, os homens ignoram a natureza, constroem casas e civilizações aos pés de vulcões ativos, de regiões com falhas tectônicas, em morros e beira de morros, enfim, depois se perguntam: “por que Deus deixou isso acontecer?” Deus não deixou, era programado para que acontecesse; programado NATURALMENTE. Deus não está nos mais altos céus colocando seu dedinho no pacífico só para que este sofra um abalo, e ele olhe para os japoneses e ria de seus olhinhos puxados se esbugalhando com o desespero e então diga: “zuei!”. Isso não é o mito de Ló e sua esposa de sal.

Por mais que esses tolos continuem pregando um Deus irado e facínora que através de seus decretos quer provar aos homens sua soberania, as catástrofes naturais continuarão naturais. Esse pensamento é uma parte das mentes afetadas pela revelação e mania de grandeza frustradas em muitos teólogos e projetadas em Deus. Gente, Calvino, de onde eles bebem, tinha hemorroidas! E é apontado como o tirano cruel de Genebra, rabugento, rancoroso e desumano. Tudo, por conta de sua homossexualidade reprimida, mas denunciada em 1577 por Jerome Bolsec.

Deus é amor, e as catástrofes com morte humana acontecem, não por desígnios divinos, mas pela negligência do homem na relação com a natureza, subestimando-a, pensando num domínio hipotético ignoram as zonas de riscos naturais. Não sejam tolos!

sábado, março 12, 2011

FUMEC demite transexual

Demitida, transexual acusa faculdade de discriminação

Instituição nega versão e diz que demissão foi por queda de produção; Giselle denuncia que perdeu bolsa de estudo

Publicado no Super Notícia em 12/03/2011

RAFAEL ROCHAfalesuper@supernoticia.com.br

diminuator.php

De calça jeans e camisa de malha, o auxiliar administrativo Heverton Sousa, de 19 anos, era um funcionário como outro qualquer. Desde 2007, trabalhava na tesouraria da Fundação Mineira de Educação e Cultura (Universidade Fumec), uma das principais faculdades de Belo Horizonte. Começou atuando como menor aprendiz e foi contratado quando atingiu a maioridade. Em novembro do ano passado, três meses depois de ganhar uma promoção Heverton atendeu seus impulsos femininos e passou a trabalhar vestido de mulher.

Assumiu o nome de Giselle Vuitton e, pouco depois, acabou demitido. Agora transexual - assim se apresenta, apesar de não ser operada -, Giselle Vuitton diz que sua demissão, em fevereiro passado, foi motivada por preconceito. "Vou provar, tenho testemunhas", diz ela ao anunciar que irá acionar a universidade na Justiça.

A jovem transexual cursa o terceiro período de administração na Fumec e desconfia que tenha perdido a bolsa estudantil concedida pela instituição também por discriminação. "Cancelaram a bolsa de 20% que eu recebia, mas isso é errado, pois a renovação acontece semestralmente", disse. A faculdade confirma o cancelamento da bolsa e alega que o benefício termina assim que o funcionário se desliga da empresa.

Sem emprego, Giselle diz que ainda não sabe como irá pagar a mensalidade de R$ 850. "Espero arrumar um emprego, mas geralmente as empresas não aceitam os trans".

A Fumec nega que a demissão tenha ocorrido por preconceito. O gerente de relações institucionais, Lucas Couto, informou que a instituição não reconhece a nova identidade de Heverton Sousa. "Não conheço Giselle, conheço o Heverton", disse.

Em nota, a faculdade informou que o motivo da demissão foi insuficiência no desempenho profissional da transexual. Uma advertência emitida em julho de 2009, alega a universidade, já apontava para a necessidade de "maior concentração e foco nas atividades" do funcionário. A instituição explicou que a promoção dada a Giselle um ano depois da advertência foi uma forma de incentivo profissional e um reconhecimento pela evolução no trabalho.

Giselle conta que durante o tempo em que trabalhou na universidade se comportou com discrição e os colegas só souberam de sua orientação sexual quando ela passou a usar batom. "Depois que comecei a ir de batom percebi que os coordenadores do setor se afastavam de mim. Eu queria me sentir mais atraente", justifica a transexual.

Em nota, a Fumec diz que "o desempenho profissional da pessoa com nome fantasia Giselle e nome de registro Heverton foi considerado, nos últimos meses, como insuficiente".

"Temos que usar o banheiro masculino"

A transexual Giselle Vuitton relata que tem sido alvo de constrangimentos no cotidiano da faculdade. Um deles, segundo ela, é não poder usar o banheiro feminino. "Tenho que ir ao toalete masculino. Isso é, no mínimo, incômodo".

Para ela, a Fumec não está preparada para lidar com travestis ou transexuais. "A faculdade não orienta (os funcionários). Lá têm outras trans que também reclamam", diz Giselle.

No momento da chamada em sala de aula, alguns professores continuam chamando as transexuais pelo nome masculino.

O Diretório Central de Estudantes (DCE) confirmou que há outros alunos travestis, mas nenhum caso de preconceito chegou ao conhecimento dos representantes dos alunos. "Iremos apurar o caso", informou o presidente Uirislan Schiebe.

No antigo ambiente de trabalho, segundo ela, o medo de demissões impede que os funcionários comentem sobre o caso. A reportagem tentou ouvir a opinião de ex-colegas de Giselle, mas ninguém quis comentar a denúncia.

Para a jovem, o problema vivido na universidade revela um preconceito muito forte, principalmente no ambiente acadêmico.

"A faculdade deveria ser um lugar de respeito às diferenças".

Mesmo com os transtornos, a universitária diz estar satisfeita com a decisão que tomou. Ela disse, no entanto, que não pretende fazer a cirurgia de mudança de sexo. (RRo)

II Marcha Contra a Homofobia

MCH

“Nada é mais forte que uma ideia cujo tempo chegou”. Vitor Hugo

Igualdade de direitos. Fim da discriminação. Fim da violência. Cidadania plena. Reconhecimento. Respeito. Essas são as nossas reivindicações. Somos milhões de brasileiras e brasileiros, ainda excluídos da democracia e ignorado pelas leis do país.

Somos lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), de todos os cantos do país, de todas as profissões, de todos credos, de todas raças, de todos sotaques, de todas opiniões, de todas etnias, de todos gostos e culturas. Mas temos algo em comum. Não usufruímos nossos direitos pelo simples fato de termos uma orientação sexual ou identidade de gênero diferente da maioria. Somos milhões de cidadãos /ãs de “segunda classe “ em nosso Brasil.

Faz 22 anos que o Brasil se democratizou e promulgou a “Constituição Cidadã”. Entretanto, em todo esse período, nossa jovem democracia não foi capaz de incorporar a população LGBT. Até hoje não existe sequer uma lei que assegure nossos direitos civis. Não existem leis que nos protejam da violência homofóbica.

A homofobia não é um problema que afeta apenas a população LGBT. Ela diz respeito também ao tipo de sociedade que queremos construir. O Brasil só será um país democrático de fato se incorporar todas as pessoas à cidadania plena, sem nenhum tipo de discriminação. O reconhecimento e o respeito à diversidade e à pluralidade constituem um fundamento da democracia. Enquanto nosso país continuar negando direitos e discriminando lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais não teremos construído uma democracia digna desse nome.

Por essa razão é que a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais - ABGLT, convoca e coordenará todos os/as ativistas de suas 237 ONGs afiliadas e pessoas e organizações aliadas à  II Marcha Nacional contra a Homofobia, a ser realizada na cidade de Brasília , em 18 de maio de 2011, com concentração às 9h, na  Esplanada dos Ministérios, em frente à Catedral Metropolitana.

O dia 17  de maio é comemorado como o dia internacional contra a homofobia (ódio, agressão, violência, discriminação e até morte de LGBT). A data marca uma vitória histórica do Movimento LGBT internacional. Foi quando a Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade do Código Internacional de Doenças.

Vamos a Brasília, novamente, para denunciar a homofobia, o racismo, o machismo e a desigualdade social. Temos assistido nos últimos meses ao recrudescimento da violência homofóbica, a exemplo do que ocorreu recentemente em São Paulo, no Rio de Janeiro, no Ceará, no Paraná e em Minas Gerais. Chama a atenção o fato de que muitos dos agressores não pertencem a grupos de extrema-direita violentos, mas são jovens de classe média, o que demonstra como a homofobia está amplamente difundida em toda sociedade.

O Brasil está mudando. Elegemos um operário e agora uma mulher presidenta da República, que coloca como meta central de seu governo a erradicação da extrema pobreza. A sociedade brasileira não é contra o reconhecimento dos direitos LGBT. A grande oposição à cidadania LGBT vem dos fundamentalistas religiosos. Algumas denominações evangélicas e parte da igreja católica dedicam esforços imensos a atacar permanentemente a comunidade LGBT e bloquear qualquer ação que garanta direitos a essa população.

O Brasil é um país plural e diverso, que respeita todas os credos e religiões, contudo nosso Estado é laico – separamos a religião da esfera pública, isso está garantido constitucionalmente. O movimento LGBT defende a mais ampla liberdade religiosa. Respeitamos todos os credos e opiniões, mas, entendemos que crenças religiosas pertencem à esfera privada - individual ou comunitária. Religião é uma escolha, a cidadania não!

Não aceitamos que dogmas religiosos sejam usados como justificativas para o preconceito e negação de direitos aos LGBT. É preciso assegurar a laicidade do Estado e garantir o respeito à diversidade.

A II Marcha Nacional Ccontra a Homofobia é, portanto, um grito, um protesto, um manifesto de respeito aos direitos individuais e coletivos.

Queremos igualdade de direitos e políticas públicas de combate à homofobia. Reivindicamos que o Estado brasileiro, de conjunto (ou seja, os três poderes), e em todas as esferas da federação (União, Estado e municípios) incorporem a diretriz de combater a homofobia e promover a cidadania plena para a população LGBT.

Defendemos que:

- o Estado laico seja assegurado, sem interferência dos fundamentalismos religiosos;

- o Governo Federal acelere a implementação do Plano Nacional de Promoção dos Direitos Humanos e Cidadania de LGBT, garantindo recursos orçamentários e o necessário controle social e accountability na sua execução, promovendo a diminuição da homofobia;

- todos governos estaduais e municipais instituam : coordenadorias LGBT, Conselhos LGBT e Planos de Combate à Homofobia;

- o Congresso Nacional aprove a criminalização da homofobia (PLC 122), a união estável e o casamento civil; a alteração do prenome das pessoas transexuais, o reconhecimento do nome social das travestis;

- o Judiciário, em todos os níveis, faça valer a igualdade plena entre todas as pessoas, independente de sua orientação sexual e/ou identidade de gênero;

- o Superior Tribunal de Justiça reconheça como entidades familiares as uniões entre pessoas do mesmo sexo;

- o Supremo Tribunal Federal julgue favoravelmente às Ações que pleiteiam a união estável entre pessoas do mesmo sexo e o direito das pessoas transexuais alterarem seu prenome.

Na ocasião da II Marcha, convidamos a todas e todas para participar do VIII Seminário LGBT no Congresso Nacional, a ser realizado no dia 17 de maio – Dia Internacional Contra a Homofobia – no auditório Nereu Ramos.

Março de 2011

ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais

Gostaríamos de solicitar o apoio de todas e todos, pessoas, personalidades, organizações... aliadas, no sentido de assinar o Manifesto da II Marcha Nacional Contra a Homofobia.

Toni Reis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...